25 de outubro de 2011

A Primeira República do Brasil (7ª Parte)

 Sem informar à população sob os motivos e causas da obrigatoriedade da vacina contra a varíola, e diante de um programa de saúde autoritário também em outros aspectos, o povo urbano brasileiro se revoltou no início do século XX, no que ficou conhecido como Revolta da Vacina.

Movimentos sociais urbanos da Primeira República

• Originados, principalmente, de classes pobres que se sentiam desprezadas nos arredores das cidades comerciais e industriais do país. Os movimentos sociais urbanos foram essencialmente embasados e motivados pelo descaso do governo para com os operários.

A Revolta da Vacina (1904)

• Teve suas origens em 1902, no governo do presidente Rodrigues Alves, que tinha como prioridade política transformar o Rio de Janeiro numa cidade moderna e saneada, entretanto, para conseguir tal objetivo, Rodrigues desprezou as classes pobres do Rio, o que mais tarde levaria ao movimento que ficou conhecido como Revolta da Vacina.

• Rodrigues havia ordenado a derrubada de casebres e cortiços no centro da cidade, com o objetivo de abrir avenidas. Tais classes populares do centro carioca foram desalojadas e encontraram lugar para habitação nos morros, hoje conhecidos como periferias ou favelas.

• Perreira Passos, prefeito do Rio, seguindo a política de urbanização de Rodrigues Alves, determinou que os mendigos e animais não poderiam transitar na cidade, além de ter ordenado visitas domiciliares aos cidadãos com o objetivo de inspecionar tudo o que pudesse ser considerado prejudicial à higiene, porém, não informava à população os motivos e necessidades das inspeções sanitárias.

• A política sanitarista de Oswaldo Cruz

- Encarregado pelo governo para combater as epidemias urbanas, como a febre amarela, a peste bubônica e a varíola, o médico e sanitarista Oswaldo Cruz foi o autor de um projeto que determinava como obrigatória a vacinação contra a varíola para todos os brasileiros com mais de seis anos de idade. Em 1904, com a aprovação do projeto, o povo que não recebia nenhum tipo de informação e explicação sobre a obrigatoriedade da vacina, se revoltou no que ficou conhecido como Revolta da Vacina.

- A revolta da vacina consistiu em lutas populares nos centros urbanos contra a polícia. Após o governo ter conseguido controlar a situação, o governo prendeu centenas de pessoas e as deportaram para o território do Acre.

Leia também a 8ª parte deste estudo (CLIQUE AQUI)

Nenhum comentário:

Postar um comentário