6 de novembro de 2011

A Coordenação

 Uma oração pode ser coordenada assindética ou coordenada sindética no período composto por coordenação.

Relembrando alguns conceitos

• Período Simples:

- Frase formada por apenas uma oração. Ex: Ele varreu a calçada.

• Período Composto:

- Frase formada por duas ou mais orações. Ex: Ele varreu a calçada e depois lavou o carro. Ou ainda: Ele varreu a calçada, depois lavou o carro.

1º oração: Ele varreu a calçada.
2º oração: E depois lavou o carro.

Períodos compostos por coordenação

• Os períodos compostos por coordenação podem ser sindéticos ou assindéticos, de modo que:

- Nos períodos sindéticos, a oração coordenada é ligada por uma conjunção. Sindético vem do grego, e significa “o que serve para ligar”.

Por exemplo:

O carro é útil para nós e é confortável.

1º oração: O carro é útil para nós.
2ª oração: E é confortável.

A conjunção “e” exerce a função aditiva. Existindo conjunção, logo será uma oração sindética.

- Nos períodos assindéticos, a oração coordenada é ligada pela pontuação, geralmente a vírgula. O “a” na frente da palavra “sindético” exerce o significado de negação, do tipo “que não é sindético”, ou falta, do tipo “que falta a conjunção para ser sindético”.

Por exemplo:

O carro é útil para nós, inútil para eles.

1ª oração: O carro é útil para nós.
2ª oração: Inútil para eles.

Observe que, em vez de se atribuir ligação entre a primeira oração coordenada e a segunda por uma conjunção, foi empregado a vírgula que dá noção de independência entre a primeira oração e a segunda oração. Temos dessa forma duas orações independentes. E por estarem ligadas independentemente por uma vírgula, logo serão assindéticas.

Abaixo, reproduzimos a primeira estrofe do Hino Nacional:

“Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heroico o brado retumbante,
E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da Pátria nesse instante.”

Nos dois primeiros versos não há conjunção, temos, portanto, um período composto por coordenação assindética:

“Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heroico o brado retumbante,

Agora, repare os dois últimos versos:

E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da Pátria nesse instante.”

Observe que a primeira oração já começa ligada por uma conjunção aditiva “e”, portanto, sindética. Logo depois temos “em raios fúlgidos” e “Brilhou no céu da Pátria nesse instante.” que são ligadas por vírgulas, ou seja, assindéticas.

Os tipos de orações coordenadas sindéticas (ligadas por conjunção)

• Oração coordenada sindética aditiva: as orações se apresentam ligadas por uma conjunção que exerce função aditiva.

Exemplos:

“Eu não paguei a conta de água, nem a de energia.”
“Ela comprou um vestido e um lingerie.”
“O celular tem câmera e acesso à internet.”

Importante lembrar que, no primeiro exemplo “Eu não paguei a conta de água, nem a de energia.”, a oração “Eu não paguei a conta de água,” é coordenada assindética, pois está separada por vírgula. A segunda “nem a de energia” é sindética, pois está ligada pela conjunção “nem”.

• Oração coordenada sindética adversativa: as orações se apresentam ligadas por uma conjunção que exerce função de oposição, adversidade.

Exemplos:

“Eu gosto do meu estado, mas não do meu governador.”
“O celular é bom, mas custa caro.”
“O país avançou, mas ainda está longe do que queríamos.”

Importante lembrar que, todas as três frases acima possuem duas orações, e todas três primeiras são assindéticas, ligadas por vírgula; já as três segundas são sindéticas, ligadas pela conjunção “mas”.

• Oração coordenada sindética alternativa: as orações se apresentam ligadas por uma conjunção que exerce função de alternância, opção.

Exemplos:

“O celular funciona com ou sem chip.”
Ou aceita ou não aceita.”
“Você pode ir à praia sábado ou domingo.”

• Oração coordenada sindética conclusiva: as orações se apresentam ligadas por uma conjunção que exerce função conclusiva, consequencial.

Exemplos:

“Penso, logo existo.”
“Posto em blog, portanto sou blogueiro.”
“O trânsito está um caos, vamos, pois, de bicicleta.”

Mais uma vez é necessário que se classifiquem as frases separadamente. Antes da vírgula temos orações coordenadas assindéticas; depois da(s) vírgula(s) e por estarem ligadas por conjunções temos orações sindéticas.

• Oração coordenada sindética explicativa: as orações se apresentam ligadas por uma conjunção que exerce função explicativa, justificativa.

Exemplos:

“A festa estava boa porque tinha petiscos do mar.”
“Não faça isso que é perigoso.”
“A loja de cosméticos não abrirá amanhã porque é feriado.”

• Podemos resumir, então, o básico do que foi explicado acima, da seguinte forma:

As orações podem ser:

- Orações coordenadas assindéticas e orações coordenadas sindéticas.
- Dentro das coordenadas sindéticas, temos:

Sindéticas aditivas (geralmente: conjunções “e” e “nem”.).
Sindéticas adversativas (geralmente: conjunções “mas”, “porém”, “todavia”, “entretanto” e “contudo”.).
Sindéticas alternativas (geralmente: conjunções “ou”, “ora, ora”, “quer, quer”, “nem, nem”.).
Sindéticas conclusivas (geralmente: conjunções “logo”, “portanto”, “pois”, “assim”, “por isso”.).
Sindéticas explicativas (geralmente: conjunções “que”, “porque” e “pois”.).

Polissíndeto e Assíndeto

• Polissíndeto e assíndeto ocorrem em frases em que, “poli” de muitos, junto à “sindético” de conjunções, indica muitas conjunções em um período composto; já “a” de “falta”, indica a inexistência de conjunções em um período composto.

Alguns exemplos de exercícios resolvidos

“Vencemos o concurso; vamos, pois, comemorar.”

1ª oração: “Vencemos o concurso;
Oração coordenada assindética

2ª oração: “vamos,
Oração coordenada assindética

3ª oração: “Pois, comemorar.”
Oração coordenada sindética conclusiva

“O espetáculo é bom, entretanto terminava muito tarde.”

1ª oração: “O espetáculo é bom,
Oração coordenada assindética

2ª oração: “entretanto terminava muito tarde.”
Oração coordenada sindética adversativa

Nenhum comentário:

Postar um comentário