21 de fevereiro de 2012

O processo comunicativo

Entenda o que é comunicação, o processo comunicativo e seus elementos formadores. Saiba também sobre os outros fatores que influenciam na interação entre falante (emissor de uma mensagem) e o seu interlocutor.

Comunicação como um todo

Numa comunicação, falante (emissor)
e interlocutor interagem

Antes de falarmos de como se dá o processo comunicativo, os elementos que o constituem, como ele é feito e qual a sua função, temos que entender o que é, de fato, comunicação. Segundo o Aurélio da Língua Portuguesa, Comunicação é: o ato ou efeito de comunicar-se; o processo de emissão e recepção de mensagens por meio de métodos e/ou sistemas convencionados; a mensagem recebida por esses meios e a capacidade de trocar ou discutir ideias, de dialogar, com vista ao bom entendimento entre pessoas. Se comunicação é isso tudo, o processo em que se dá a comunicação é ainda maior, pois, para que a comunicação exista é necessário uma série de fatores e uma interação propícia entre esses fatores.

Elementos formuladores do processo comunicativo

No processo comunicativo temos um falante, um código, uma mensagem, um referente, um canal e por último o interlocutor. Detalhando e esquematizando, o falante é um dos participantes do processo de comunicação, que vai se utilizar do código – o meio pelo qual ele poderá usar para comunicar-se, por exemplo, a língua portuguesa – e, através do código, poderá construir a sua mensagem, por exemplo, um texto, para poder tratar sobre um referente – assunto, tema – do qual vai falar. Tendo o código, a mensagem e o referente, o falante ainda precisará de um canal – o meio pelo qual a mensagem será veiculada –, para poder atingir o seu interlocutor, aquele que vai interagir com a mensagem a fim de compreendê-la.

Comunicação em contexto

No parágrafo anterior tratamos dos aspectos constituintes do processo comunicativo, mas, o processo de comunicação não se resume a apenas utilizar-se dos elementos formuladores. Já imaginou se bastasse apenas um jornalista saber sobre esses elementos constitutivos para poder atingir os seus objetivos? Seria fácil, não?! Era só questão de ter conhecimento na área e poder fazer com que a sua opinião também fosse a opinião de seu público alvo. Pois bem, comunicação vai além das questões pragmáticas, metodológicas, é preciso ter um contexto propício para poder efetivar com sucesso o processo comunicativo que parte de um falante e vai até o interlocutor.

No processo comunicativo há a questão do contexto situacional (ambientes externos aos participantes, em que se realiza o processo), há a questão da intenção do falante (aquilo que o emissor realmente deseja obter com a mensagem) e não menos importante, aliás, motivo do trabalho comunicativo, o interlocutor (que deverá receber a mensagem e interagir com ela). A interação do interlocutor com a mensagem pode se dar positva ou negativamente por uma infinidade de fatores como, o senso crítico do interlocutor, sua ideologia, sua cultura, etc. Portanto, num processo comunicativo em que se objetiva atingir o interlocutor da forma esperada, o falante precisa formular sua mensagem valorizando as características do seu interlocutor, afinal não se imagina que um texto sobre moda para mulheres idosas vá chamar a atenção de moçinhas de 18 anos, certo?

Veja o exemplo abaixo de um trecho retirado de um portal da internet sobre moda:

“Em geral, grande parte das mulheres mais velhas, prefere vestir-se de forma mais clássica e discreta, inclusive nos eventos sociais. Daí a escolha mais comum pelos vestidos clássicos, conjuntos de saias e blusas ou terninhos.

Os vestidos sociais para as mulheres mais velhas podem ser mais longos ou de comprimento médio e em tecidos nobres sofisticados, como a seda, musselines e zibelines ou em tecidos mais estruturados, para evitar que o vestido grude ao corpo.”

Agora veja um trecho em que o contexto da mensagem é moda para mulheres novas:

“As camisetas com estampas e frases divertidas viram protagonistas do look de moças descoladas.”

Em apenas uma linha do segundo trecho, já se nota a diferença entre o contexto da primeira mensagem com a segunda. No primeiro trecho, o autor explica que mulheres mais velhas dão preferência a roupas mais discretas e clássicas. No segundo trecho, o autor afirma que camisetas com estampas – o oposto de discreto – é comum no visual de moças descoladas. Nesses exemplos se percebe a diferença entre o assunto, mas a formulação do texto ainda é formal. Em determinados textos, o falante pode ainda, utilizar-se de expressões específicas de seu público alvo para poder cativa-lo, as famosas gírias e jargões.

Um comentário: