10 de abril de 2014

O desafio de estudar

Quando se fala em estudar, a maioria das pessoas logo associa isso a um desafio que compete apenas à questão da aprendizagem e da saúde do estudante. Não que não seja, mas estudar vai muito além da capacidade cognitiva e intelectual de uma pessoa. Fora questões sociais, que tornam o estudo um desafio ainda maior, pode haver questões pessoais ou familiares que apesar de não tornarem o estudo um desafio impossível, o dificultam ainda mais.


http://eduebrasil.blogspot.com.br
Inteligência e dificuldade de aprendizagem

Como eu já escrevi aqui no blog, estudar e aprender são coisas diferentes. Às vezes um estudante pode precisar estudar um conteúdo por muito mais tempo ou muito mais vezes para compreender e dominar uma matéria em relação a outro. Isso pode ser em algumas matérias específicas como, quem é ruim de exatas, ser melhor em humanas, por exemplo. Mas pode também ser uma dificuldade mais generalizada.

Se o estudante apresenta uma dificuldade de aprendizagem que não se manifesta em apenas algumas matérias, mas em todas ou praticamente todas, um dos possíveis problemas é ele ter uma dificuldade de aprendizagem significativa. Você, melhor do que ninguém, sabe se o seu problema em aprender é uma questão estritamente de dificuldade. Se for, pode ser o caso de fazer um tratamento psicológico a fim de melhorar as suas aptidões e/ou contar com o auxílio de um professor particular. Agora se você consegue aprender, mas mesmo assim não consegue resultados esperados, considere algumas das possibilidades abaixo.


http://eduebrasil.blogspot.com.brSaúde

Que a saúde física é de fundamental importância para um bom rendimento de um estudante, não há dúvidas. Mas se fala pouco em saúde psicológica e, mais pouco ainda, é o acompanhamento psicológico estar presente nas escolas públicas ou mesmo particulares. Pode-se dizer que ele inexiste!

É necessário que somado a hábitos de vida saudáveis, condição primordial para se fazer qualquer coisa, seja estudar ou trabalhar, o estudante possua um psicológico igualmente saudável.

Ultimamente, no Brasil, têm se divulgado mais na imprensa sobre transtornos psicológicos que atrapalham a capacidade de um indivíduo conseguir aprender. Portanto, fora estar em dia com exames de rotina médica, é interessante procurar o auxílio adequado se você perceber que tem, por exemplo, dificuldade de prestar atenção ou qualquer outra coisa relativa ao estudo.


http://eduebrasil.blogspot.com.br
Questões sociais

As classes sociais que apresentam maior dificuldade de acesso à educação, informação e à cultura são as classes D e E, enquanto estudantes da classe C - maior classe social do país - podem, mesmo que com alguns empecilhos, ter melhor e maior acesso à uma educação de qualidade.

Embora o governo federal tenha reunido esforços para diminuir as inúmeras dificuldades existentes no acesso de estudantes carentes à universidades, ainda há um enorme desafio na educação oferecida nas escolas públicas brasileiras. Mesmo com cotas sociais e raciais, de inegável necessidade para democratizar o acesso à educação superior no Brasil, outra coisa ainda a ser feita é melhorar substancialmente a educação do nível básico ao médio.

Mesmo que algumas pesquisas apontem que não há diferença significativa entre as notas dos alunos da maioria das escolas particulares brasileiras em relação as notas dos estudantes das escolas públicas, o número das primeiras praticamente sempre é mais alto. E, na própria educação de base até a de nível médio, não basta apenas que os professores sejam bem pagos, pois a estrutura de cada escola pública precisa ser otimizada. Ainda que haja escolas públicas no Brasil com péssimas estruturas, a diferença entre várias outras públicas e escolas particulares se resume a poucas coisas. Por exemplo, por quê alunos de particulares aprendem mais a alunos de públicas quando ambos os prédios são novos e equipados? É o serviço público que é lotado? É o suporte estudantil fora da escola que alunos de particulares têm muito mais a alunos de públicas? São as greves e/ou faltas de professores que os alunos das públicas estão submetidos? É, inclusive, dificuldades desses próprios professores de aprimorarem a sua formação? Técnicas extracurriculares utilizadas no setor escolar privado que não são oferecidas no setor público? Enfim, os questionamentos são vários, mas o que eu quero dizer é que, em muitos os casos, a diferença não está nas estruturas físicas dos prédios....

Fora da escola, as questões sociais como dificuldades financeiras da família também dificultam a qualidade da educação que o aluno de escola pública tem. Pois a educação não se resume ao que é oferecido na escola. Qualidade de educação está também, como já dito anteriormente, no devido provimento dos materiais escolares necessários, no apoio de meios como a internet e no suporte de um professor nas atividades escolares para a casa. Afinal, na escola o estudante vai para aprender, mas é em casa que ele pratica esse aprendizado. E, não menos importante, uma vida cultural e ou de lazer limitada por razões financeiras, também tem a sua contribuição para tornar a vida de um estudante sem muitas condições mais cansativa e estressante. Entre faltas básicas ou outras dificuldades familiares, a falta de lazer do estudante carente pode ser um dos fatores para a evasão escolar e/ou desinteresse pelos estudos.


http://eduebrasil.blogspot.com.brQuestões pessoais

Ser discriminado naquele que deveria ser o ambiente mais apropriado para se combater desde cedo a discriminação, é mais um fator que leva vários estudantes a terem grandes dificuldades na aprendizagem e até na vida social. Bullying praticado contra homossexuais, obesos, estudante realmente interessado em aprender, estudante mais introvertido, negros, estudante com um estilo 'diferente' e 'não aceito' pela maioria, estudante extremamente carente, estudante que professa religiões minoritárias ou não é adepto de nenhuma religião, estudante muito magro, estudante com deficiências físicas e/ou mentais ou qualquer outro que seja diferente de um padrão pré-estabelecido e tenha fragilidade no grupo social pode vir à repetir o ano, ter depressão e/ou demais problemas psicológicos e até abandonar literalmente a escola.

Infelizmente, o bullying é um problema mundial e, embora seja logo associado à vida escolar, reflete na verdade preconceitos ou maldades existentes na vida das pessoas. E mais lamentável ainda é que as escolas não enfrentam esse grave problema de forma eficiente. Às vezes, até menosprezam ou não oferecem o apoio e proteção adequados aquele estudante que é vítima de bullying. E, pior, sequer possuem um plano para, fora dar todo o suporte necessário ao estudante que esteja sendo vítima de bullying, conseguir identificar aquele estudante que é vítima de bullying, mas não denuncia seus agressores por receio à intimidação.

Para além disso, uma outra questão que pesa é o estudante que, embora não possua necessariamente um mau caráter, passa a ter uma má conduta na escola ou praticar bullying com demais estudantes por estar passando, na vida familiar, problemas como brigas dos pais, carências básicas, agressão física e/ou psicológica, etc. Mesmo que o bullying não seja justificável em nenhuma hipótese, cabe olharmos para o que leva alguns estudantes a humilharem, ofenderem e intimidarem outros de forma "gratuita", isto é, sem nenhum motivo real e pessoal para com a vítima.

Outras questões pessoais, não ligadas a discriminações, podem ser uma própria dificuldade do estudante em lidar com a fase turbulenta que é a adolescência. Problemas de relacionamento ou dificuldade de se identificar no mundo podem também apresentarem alguma contribuição para um desempenho inferior na escola.

http://eduebrasil.blogspot.com.brQuestões familiares

Problemas familiares estão, muitas vezes, diretamente relacionados aos problemas pessoais do estudante. Pais que vivem em constantes desentendimentos; pais separados ou propícios à separação e que não conseguem se conciliarem; familiares muito próximos do estudante que estejam doentes; constantes desentendimentos entre o estudante e seus irmãos; problemas de tabagismo, alcoolismo ou qualquer outro vício de um dos membros da família; pais irresponsáveis que não cumprem com as suas devidas obrigações; desentendimentos frequentes entre parentes próximos do estudante; falta de apoio e incentivo por parte dos provedores ao estudante; maus tratos físicos ou psicológicos ao estudante; familiares drogados ou presos que são próximos do estudante, enfim, qualquer tipo de problema complicado pelo o qual o estudante enfrente em sua vida familiar, afeta inegavelmente o seu rendimento escolar. As questões familiares, entretanto, são complexas porque, como exemplificado, envolve outras pessoas e problemas mais difíceis, às vezes, na estrutura da família.

Se você enfrenta grandes problemas familiares, uma causa muito pertinente para a sua dificuldade em ter bons resultados na vida escolar se dê a isso. No entanto, fora problemas familiares, podem haver outras causas para a dificuldade em aprender, como as já ditas ao decorrer de toda essa postagem. Se o estudante acha que deve e não têm receios de expor tais problemas familiares para a equipe pedagógica da escola, isso pode lhe ajudar a ter o seu caso visto para além das capacidades intelectuais, uma vez que coisas não ligadas a sua inteligência e esforço, mas sim questões familiares, é que estão lhe prejudicando em seu desempenho estudantil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário